24 de dez de 2008

Reconhecer

Meditando com Deus, pensei no que eu gostaria que as pessoas pensassem sobre mim quando me vissem. Será que eu gostaria que vissem um homem bom? Carinhoso? Leal? Digno? Corajoso? Honroso?

Não.

Eu quero que vejam um homem com o amor do Espírito Santo, com fé em Deus, não digno por mim, mas digno pelo sangue que Cristo derramou para perdão dos nossos pecados indignos. Um homem com a coragem do Leão da Tribo Judá. Um homem que acima de todas as coisas honre e ame os ensinamentos de Cristo.

Não desejo ser um grande homem, quero ser o pequeno homem que sou, com um infinitamente maravilhoso Deus, não quero que as pessoas dêem reconhecimento a mim, mas sim que reconheçam o Deus que está à frente de todas as maravilhas que me acontecem dia após dia.

Quero que entendam que não sou corajoso por acreditar no meu potencial, mas sim por que acredito que Ele está comigo em todo o caminho que ando sempre pronto a me livrar.

Afinal, não quero reconhecimento, o maior reconhecimento que a vida poderia me dar já o tenho que é ser reconhecido como filho de um Deus maravilhoso, conselheiro, poderoso e único. E para isso bastou eu reconhecê-lo como meu único Deus e Salvador que por seu filho Jesus Cristo justificou todos os pecados dos homens, morrendo por mim e por você, ressuscitando após três dias, dando-nos o Espírito Santo para nos encher de sua glória e majestade e quanto mais nos esvaziamos de nos mesmo mais podemos nos encher dEle.

17 de dez de 2008

Escolha

Nós temos a opção de fazer escolhas em nossas vidas. Não sei se posso chamar isso de opção, pois sempre temos que fazer uma escolha querendo ou não, dessa forma a opção mais me parece uma obrigação. Muitas vezes eu gostaria de não ter opção de escolha, queria que o caminho certo simplesmente brilhasse na minha frente, sem que eu tenha que me esforçar para descobri-lo.

Deus nos criou assim. Livres, podemos escolher ser bons ou ruins. Ele nos concedeu a opção de escolher entre servir ou não a Ele. Quando a nossa decisão é não servi-lo, fica mais difícil tomar as outras decisões da vida, com um espírito cego que não sabe onde pisa. Já quando escolhemos servi-lo, o caminho se torna mais claro e as suas escolhas já não são mais tomadas ao acaso da vida e sim pelo Espírito Santo que nos guia os passos ao caminho da luz.

Ainda que o Espírito Santo esteja conosco para nos guiar, tentamos algumas vezes tomar nossas próprias direções e, na maioria das vezes, tropeçamos. Com esses tropeços aprendemos a confiar mais no Espírito que nos leva pelo caminho da verdade.

Contudo, nossas escolhas são o que nos constróem e, quanto mais nos deixamos ser levados pelo caminho de Cristo, mais nos aproximamos da sua perfeição. As suas (tão somente as suas) escolhas têm o poder de distanciá-lo ou aproximá-lo de Deus.

7 de dez de 2008

Decepção

Antes de dizer sobre quais decepções eu já passei na vida, eu preciso refletir em quantas vezes eu já decepcionei aqueles que me cercam, quantas vezes uma atitude não pensada e até infantil fez com que o meu próximo tenha essa sensação. Será que todas as vezes que eu prometi além do que poderia cumprir já não sabia que estava criando uma situação onde um sentimento tão amargo pudesse ser gerado? Talvez se eu soubesse não teria feito, mas a vida é constiuida de decepções. Por mais que não dependamos delas, elas estão lá, sempre acontecendo.

Nem o próprio Deus está imune às decepções. Passando pelos livros da Bíblia nos deparamos com decepção após decepção de Deus com relação ao homem. A diferença é que Deus não deixa de confiar naquele que o decepcionou. Agora nós, enquanto somos homens movidos pelos sentimentos, somos capazes de confiar novamente? É preciso ter a natureza de Deus para ter tal capacidade.



Este post foi publicado no site www.irmaos.com

2 de dez de 2008

Recomeçando

"Vou começar com uma breve descrição sobre mim: 

"Sonhador"... 

Sou bem simples, assim como você! 
Tenho sonhos impossíveis ao ver das pessoas mas não a meu ver. 
Vivo recomeçando reformas em meu interior, buscando sempre uma forma mais agradável de viver. 
Não busco a perfeição em ninguém, só a vontade de ser feliz e de querer compartilhar tal sentimento. 
Reconheço meus erros, mas na maioria das vezes, preciso que alguém os aponte para mim. 
Tenho um amor imensurável pelos meus Pais. 
São as únicas pessoas com quem eu posso contar na maior parte do tempo. 
Mesmo assim não posso contar sempre. Diferente de Deus, com quem sempre posso contar.
Sou Metamorfose Ambulante, porque vivo em um mundo que é preciso se adaptar. 
Busco ser agradável a todos, mas sei que isso não é possível ... 
Já fui julgado injustamente, abandonado por ser chato e amado por amar. 

Enfim, eu sou eu, o Francis. 
Um garoto normal com problemas e lutando pelas soluções certas."

Por: Francis Alves Cabral (06/11/2006)

Esse texto foi retirado do meu antigo blog cuja o qual não tenho mais acesso. Então criei este (blog) para dar continuidade a aquele (blog que é um) trabalho não terminado.

Não sei se algum dia eu conseguirei dar continuidade em algo que eu iniciei em resultado de um impulso emocional. Mas esse blog será uma boa tentativa. Talvez, se eu não ficar dependendo do meu estado de espírito para escrever, eu consiga dar continuidade.